Histórias infantís

Título: “Se não der para voar, avoa!”.

Borboleta era o seu nome. Um insetinho muito bonito e também muito medroso. 

Queria aprender a voar, mas o medo a paralisava.

As borboletas mais crescidas, ensinavam: “Se não der para voar, avoa!”.

“Se não der para voar, avoa???” Como assim??? Perguntava a borboleta para si mesma.

Vá dando pequenos voozinhos, até que consiga voar, explicavam as borboletas.

E assim fez a borboleta: treinou, treinou, treinou…e continuou a treinar e treinar, dia e noite, noite e dia…

Um dia acordou e foi para o seu treino diário. Sentia o ar mais leve, as suas asas deslizavam mais facilmente, via coisas bem diferentes do que o costume.

O que está acontecendo comigo? Se perguntava a borboleta.

Kkk…kkk…as borboletas maiores riam sem parar…

Por que estão rindo de mim???? Perguntou a borboleta.

Borboleta, veja…você já está voando!!!

A pequena borboleta não podia se conter, tamanha alegria que sentia por saber que havia conseguido voar!!!

E assim, continuou os seus movimentos, continuou a treinar dia e noite, noite e dia…e o seu voo foi ficando melhor a cada dia!
Ilustração e Texto Analucia Toledo.

Anúncios